Newsletter
Deseja receber a nossa netletter? Insira o seu e-mail.
O SEU E-MAIL





Destaques
Apartamento T3 80.000 €
Usado | 95m²
Caldas da Rainha
CALDAS DA RAINHA - SANTO ONOFRE E SERRA DO BOURO




Notícias
Emissão de certificados energéticos aumenta | 10 de Abril de 2014 16:51:13
A certificação energética acompanha naturalmente o desempenho do mercado imobiliário e se nos últimos anos se observou uma queda acentuada na construção nova isso refletiu-se naturalmente na emissão de certificados.

O mesmo aconteceu nas transações de imóveis e isso trouxe também consequências diretas na queda dos certificados. É por esse motivo que no período decorrente de Janeiro a Novembro de 2013, mediante informação facultada pela ADENE – Agência para a Energia, foram emitidos cerca de 72,7 mil registos em termos do Sistema de Certificação Energética (SCE), observando-se uma contração de 6,8%, face ao ano de 2012.

Contudo, convém analisar o final do ano de 2013 e para compreender melhor a evolução e de acordo com o Catálogo Estudos de Mercado do I Trimestre de 2014, publicado pelo Gabinete de Estudos da APEMIP – Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal, em Dezembro de 2012 foram emitidos pouco mais de 4 mil certificados e até Setembro de 2013 esse número foi praticamente constante apenas com ligeiras subidas e descidas. Mas em Julho as emissões de certificados energéticos começam a subir consideravelmente, em Outubro já quase atingem os 6 mil certificados mas é em Novembro que se registou uma subida surpreendente, superando a barreira das 8 mil emissões.

Nova lei prevê aumento de certificados energéticos

Se em Novembro se verificou um aumento considerável do número de certificados energéticos emitidos, no mês de Dezembro a subida será ainda mais alargada. Mesmo sem a análise dos dados, é previsível esse aumento já que no dia 1 de Dezembro de 2013 começou a vigorar a lei que exige um certificado assim que o imóvel é anunciado por particulares ou mediadoras imobiliárias, para venda ou arrendamento. De acordo com a nova legislação, o proprietário ou mediador é obrigado a informar o comprador ou futuro inquilino sobre a eficiência energética do imóvel no momento em que este é posto no mercado, e quem não cumprir a lei, a multa a pagar pode ir dos 250 euros aos 3.740 euros, para os particulares, ou dos 2.400 aos 45 mil euros para as empresas.

Naturalmente, que na próxima análise os números devem surpreender. Todavia, o estudo já revela essa subida no final do ano de 2013. A classificação do desempenho energético do edificado nacional continua, centrada em termos cumulativos nos prédios residenciais, que representam estruturalmente cerca de 90% dos registos emitidos. Considerando apenas período decorrente de Janeiro a Novembro de 2013, essa representatividade foi de 87%. Tendo em consideração os registos emitidos, comparando com o mesmo período do ano transato, nos prédios residenciais registou-se um decréscimo de 7,1% em termos de volume face a 2012, tendo os edifícios de serviços registado uma quebra de 4,5%.



ENVIAR NOTÍCIA

O seu nome *


Email do seu amigo *




Lucrisucesso - Mediação Imobiliária, Lda - AMI 8044